TRICOCURSOS - Tricô a Máquina TRICOCURSOS - Tricô a Máquina

EDITORIAL - Seu emprego


Correria é a característica de todo final de ano. Quase uma maratona que sempre vencemos. Mas aí vem Janeiro e... (ufa!), o clima é de férias. Calma, paz?
- Que nada!
As crianças estão em casa, temos zilhões de coisas para cuidar, planejar, fazer, atender, ordenar. Tudo é meio sem compromisso, não temos horário para dormir, acordar, comer, sair, voltar.

 

Quando chega a hora do trabalho, pois Fevereiro é mais que hora de pensamos nisso, ficamos como uma barata tonta sem conseguirmos organizar nosso tempo. Ainda em clima de stress (férias) e de correria, queremos acrescentar o tricô ao nosso desorganizado tempo. Então sentamos à máquina por 3 minutos, levantamos para atender a TUDO o que nos requisita. E erramos, e desmanchamos, e nos atrazamos e o trabalho não rende.

 

E se você trabalhasse fora? Pronto!!
Sair de casa as 08:00 da manhã, voltar às 18:30....

 

emprego

 

Ah, você não está! Finja que está. Logo, não tem como atender ao telefone, bronquear com as crianças, fiscalizar todo o dia a dia da sua casa. A casa vai cair? Vai desmoronar? A empregada não vai fazer o seu trabalho?
As crianças não vão para o colégio? Claro que sim! TUDO vai andar, tudo vai sobrevivier sem a sua presença! É claro que você fará ajustes para conciliar os horários, as atividades; afinal, apesar do seu trabalho, a vida tem que fluir, tudo tem que ter seu momento, sua organização.

 

E por que a sua atividade de tricoteira não tem semelhante importância? Sim! VOCÊ MESMA não está impondo seriedade ao seu trabalho. É você que está fazendo do seu tricô uma atividade "que se faz quando dá" e não um trabalho encarado com seriedade e determinação.
Não é o telefone que toca que pode atrapalhar a sua concentração bem na hora daquele decote mais caprichado. Lá no seu emprego você poderia estar numa reunião, sem chance alguma de atender ao telefone...
Não, não é o mundo que está atrapalhando o rendimento do seu tricô. É você que não está dando a ele a mesma consideração que daria a um emprego qualquer que tivesse fora de casa.

 

Então organize-se!

Concilie horários, adapte atividades. Durante seu trabalho o telefone fixo ou celular será atendido pelas crianças, por sua mãe, irmã, doméstica, pela secretária eletrônica ou... não será atendido no período "de tal hora a tal hora".

Ensine a todos como anotar os recados: nome da pessoa, telefone dela, assunto. Tenha papel e caneta ao lado do telefone fixo, sempre. Combine com a família que horários você não atenderá, como se estivesse fora de casa.

Informe suas amigas e suas clientes: meu celular xxxxx-xxxx das 08:00 às 13:00 hs, por gentileza (se você for tricotar durante a tarde).

Recados de Whatsapp você olhará APÓS o seu "expediente" ou durante aquela pausa para o cafezinho...

 

whats

 

Isso evitará que você ERRE no meio do trabalho. Contar diminuições, ou aumentos, por exemplo...... se for numa cava então..... Interromper.....NEM PENSAR!

 

Habitue seus filhos a respeitarem os seus horários de trabalho. Enquanto mamãe está na máquina de tricô não pode perguntar qualquer bobagem, reclamar, chamar, gritar, etc. Organize para que esta seja a hora em que estudem, por exemplo.

 

Enfim, você é a primeira pessoa que deve olhar a sua própria atividade com seriedade. É você quem deve dar a ela o status de "trabalho", não de quebra galho, nem de diversão. Por mais que o tricô seja gostoso, apaixonante e gratificante, para gerar lucratividade deve ser encarado com respeito e profissionalismo.

 

tempo

 

Lembre-se que há uma estreita relação entre o quanto se trabalha e o quando se ganha. Portanto, se você pensa que trabalhar desorganizadamente pode gerar lucros, está errada. Você ganhará proporcionalmente ao tempo que se dedicar A SÉRIO ao seu trabalho. Tricoteiras organizadas têm horário fixo, têm metas, têm planejamento; e têm lucros, é claro.

 

Faça o seu tempo render; organize-o de maneira a poder produzir sem correrias, interrupções e afobação. Encare sua atividade como um trabalho no verdadeiro sentido da palavra.

Pense o seu tricô com a mesma seriedade com que encararia ser chamada para um emprego especilíssimo. Aliás, o seu É um emprego especialíssimo! Ou você não tinha se dado conta disso ainda?

 

 


backVOLTAR AO TOPO